Arquivo do dia: 13/04/2010

Dia Internacional do Beijo

Hoje é o Dia Internacional do Beijo. De quem terá sido a idéia? Porque beijos calham bem em qualquer dia, a qualquer hora. E é sempre motivo para os poetas. Sem dar muita atenção aos perigos do beijo, como alertam alguns procupados internetianos (principalmente neste começo de outono, quando os ares se tornam mais frios e o perigo da gripe suína nos ronda), saudemos essa expressão da sensibilidade e da sensualidade humana, imitada até pelos animais ditos irracionais. Comecemos com alguns poetas que se inspiraram no ósculo (que palavrinha feia!) entre amantes. Depois, uma série de imagens colhidas na Internet, para comprovar que o beijo é extensivamente animal. No bom sentido, é claro…

Beijoqueiros de todo o mundo, uní-vos!

Um beijo

Olavo Bilac
Foste o beijo melhor da minha vida,
ou talvez o pior…Glória e tormento,
contigo à luz subi do firmamento,
contigo fui pela infernal descida!

Morreste, e o meu desejo não te olvida:
queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,
e do teu gosto amargo me alimento,
e rolo-te na boca malferida.

Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,
batismo e extrema-unção, naquele instante
por que, feliz, eu não morri contigo?

Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,
beijo divino! e anseio delirante,
na perpétua saudade de um minuto…

O mundo é grande

Carlos Drummond de Andrade

O mundo é grande e cabe
nesta janela sobre o mar.
O mar é grande e cabe
na cama e no colchão de amar.
O amor é grande e cabe
no breve espaço de beijar.

De  Amar se Aprende Amando


Teus lábios de navegar

Saramar Mendes

Refazem teus lábios
minha pele lassa
e rios traçam,
de sangue em rebuliço
de mar sem tempo marcado,
teus lábios de me tomar.

Tanto tempo desfazes
com teus beijos
e o sol tem outro alumiar
de passeio e pipa, no ar
e a pele que com teus beijos devassas,
são rosas avermelhadas
de amor, guardando o viço,
o fogo de me queimar.

Tanto tempo, tanto amor
e conheço a saudade de cada pedaço meu
de onde tua língua lenta e doce se vai,
barco de me singrar.

Tanto teus lábios levam de mim
para jardins no mar
o ruim, a escuridão, o siso
e deixam, longe, longe…
em meus delírios, teus risos
em meus rios,
teus lábios a navegar.

Sailor kiss - famosa foto de Alfred Eisenstaedt, no final da II Guerra Mundial