Dia Mundial da Poesia

Hoje, 21 de março de 2010, mais de cem países estão comemorando o Dia Mundial da Poesia, instituído pela UNESCO há dez anos, com o objetivo de defender a diversidade linguística.

O Banco da Poesia registra a data com um poema de Fernando Pessoa – Liberdade, quase uma brincadeira literária, mas eternamente belo.  Com uma versão musicada do mesmom poema, de autoria de Ronaldo Miranda, gravada no Recital de Graduação em Regência Coral da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em 2007, no Instituto de Artes daquela universidade, com a regente Luana Lied Zapata.

E publicamos, logo abaixo, o primeiro anúncio sobre Poesia, de uma série que vamos revelar pouco a pouco. Afinal, seria muito bom se a Poesia fosse considerada um bem de primeira necessidade e estivesse entre os produtos mais consumidos em nossa sociedade.

Liberdade

Fernando Pessoa

Grafismo sobre desenho de Almada Negreiros

Ai que prazer
não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
e não o fazer!
Ler é maçada,
estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
sem edição original.
E a brisa, essa, de tão naturalmente matinal
como tem tempo, não tem pressa…

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças…
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca…

Fernando Pessoa


3 Respostas para “Dia Mundial da Poesia

  1. Era uma vez…poesia.
    Era uma vez…Cleto de Assis e o seu Banco da Poesia…

    A sua entrega, o seu amor à literatura, principalmente a poética, tornaram este empreendimento, bem vistas as coisas, mais do que corajoso. Tornou-o numa epopeia, um desafio que ele, aliás, deve adorar…

    As palavras nunca serão suficientes para expressar a minha gratidão. Tem estado sempre presente, com a sua presença calma e energias positivas, a incentivar-me com os meus poemas que vai editando sem restrições até aqueles que me deixam um pouco ceptica quanto à qualidade.

    E hoje aqui está… O primeiro a lembrar-nos que estamos a viver o Dia Internacional da Poesia. Não há dúvida que o seu potencial de amor à poesia é ilimitado. É uma vergonha confessá-lo, mas é verdade: Tinha-me esquecido disso…Não fosse o Cleto lembrar-me.

    Por isso estou agora juntando-me a todos aqueles que comemoram esta data especial, lembrando o nosso poeta maior Fernando Pessoa e o nosso amigo Cleto, que, pelo menos a mim, tem-me ajudado a abdicar de toda a carga negativa que por vezes me pesa, e a viver a vida o mais plenamente possível, com a ajuda da poesia, que nos ensina a seguir em frente, rumo a um futuro melhor.

    Com este apoio, cabe-nos depois a nós dar os passos necessários pelo caminho que desejamos para nós próprios e para aqueles que amamos.
    Posto isto… VIVA A POESIA.
    Vera Lucia

  2. Parabéns pra você e todos poetas do mundo, o pão nosso de cada dia: a poesia, o poema.

    Mano, estamos nos (eu e minha esposa que é de lá) mudando para Santa Catarina. Parece-me que você é de Curitiba.
    Se puder, se morar no Paraná ou no Sul vamos nos ver, falar, tomar um café, uma cerveja por favor.
    No mais te agradeço “meu mais profundo muito obrigado” por tudo.

    Ficamos no contato ou na telepatia.

    Grande abraço. Muita luz.

  3. Obrigado, Cássio. E seja bem vindo ao Sul, terra de gente hospitaleira (o que não quer dizer que as pessoas das outras regiões não o são). Estamos em Curitiba, bem pertinho de Santa Catarina, aliás, meu estado natal. E é claro que vamos nos ver.

    E que direi à minha amiga luso-angolana Vera Lúcia? Ela sempre se excede na generosidade de julgamento do meu trabalho. Só acertou em cheio numa coisa: adoro o desafio de levar, quase diariamente, amostras das obras poéticas de tanta gente diferente nas origens, mas unida na paixão pela poesia.

    Fico feliz (mais) por saber que a poesia lhe ajuda a retirar certos pesos da vida e que o Banco da Poesia pode estar colaborando para isso. Por isso, faço coro: VIVA A POESIA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s