Paisagem nupcial de Solivan Brugnara

Casamento / Solivan Brugnara


Minha noiva entrou
com um véu de névoa branca e fria
vinda do sul.
A grinalda feita com o calor
verde da Amazônia
e flores de maçãs mordidas.
Vestia plumagens
de um pavão branco orvalhado de pérolas.
O seu útero era adornado pelo nosso filho.
Os violinos espalharam um canto nupcial
e bandos de andorinhas evoluíram na nave
para se alimentar das notas musicais.
Os convivas cresceram, como jardins na primavera
e floriram sorrisos.
As alianças estavam
num estojo de veludo azul
sobre um pedacinho de nuvem
atadas com tranças
que eu mesmo fiz
com trinados de canários e sanhaços selvagens
colhidos em um domingo silencioso.
Gérberas vermelhas, rosas alvas
brotaram em buquês no cedro dos bancos.
Então a cerimônia juntou nossos corações
e nos deu pão com gosto de vôo de pomba.
Depois viajamos.
Era noite,
ramalhetes de raios decoravam o céu
e pedaços de nuvens
caíram sobre o carro
até nosso quarto
de mobílias feitas de perfumes
e música.
Deitamos sobre almofadas
preenchidas com sombras de gansos
e com odor róseo de sua pele,
tingimos sete dias de prazer.

2 Respostas para “Paisagem nupcial de Solivan Brugnara

  1. Que poema lindo… Cada palavra é um hino ao amor, dum romantismo que nos toca fundo.
    Muitos parabéns por este maravilhoso texto, duma inspiração
    magnífica.
    Vera Lucia

  2. Obrigado Vera,muito obrigado por suas palavras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s