A resignação de Vera Lúcia Kalahari

Estranhei o silêncio de Vera Lúcia Kalahari, a poeta portuguesa que escolheu Angola como um de seus ninhos de arribação. Ela me informa que esteve às voltas com problemas de saúde de sua filha, felizmente já superados. E manda ao Banco da Poesia mais um depósito, segundo ela produzido sob o efeito da emoção dolorosa por que passou. Agradeço e desejo plena saúde para sua filha e felicidade total para as duas.

Vontade de Deus


Se é vontade de Deus
Eu ser um pingo de chuva
Na esquecida sonolência
Dum rastro d’onda perdida
Eu ser eco ou ser brisa
Ser suspiro ou ser grito
Ou ser uma estrela cadente
Morrendo no infinito…
Se é vontade de Deus
Eu ter de lutar, de gemer,
E de sentir o que sente
O dia fugindo desfeito
Nos dedos frios da noite…
Se é vontade de Deus
Eu ser una ou ser múltipla…
Ser segundo, hora ou dia…
Ser raiz feita flor
Ou ser um caminho aberto
Por onde os pobres desfilam,
Esse será o meu destino
E será minha ventura…
Porque aquele que procura
E anseia por um além
Encontra sempre um bem
No mal que a vida tem.

_____

Ilustração: Cleto de Assis

2 Respostas para “A resignação de Vera Lúcia Kalahari

  1. Marilda Confortin

    Lindo, Vera! Verdadeiramente triste e resignado. Altamente altruista. Desejo melhoras e rezo para que log tudo esteja superado.
    Beijo
    Marilda

  2. Querida Marilda,

    Obrigado por estar tão perto de mim, principalmente nos momentos difíceis.
    A Sónia já está a recuperar, graças a Deus.
    Um beijo grande da sua amiga de sempre
    Vera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s