Helena Kolody, a indizível alegria de criar

RetratHKHelena Kolody, a consagrada poeta do Paraná, inaugurou em 1941 a série de mulheres haicaístas do país. Dona de uma enorme coleção de adjetivos-virtudes, palavras-emblemas, atribuídos a ela pelo povo paranaense, Helena deixou uma obra que, na qualidade, lembra outra grande poeta: Cecília Meirelles. O amor que ela conquistou pelos poemas, pelos livros, juntou-se à lira de sua poesia feita de canções à vida, de solidariedade,  natureza e inquietude da condição humana. Pode-se brincar dizendo que as letras iniciais do nome da poeta, HK, são as mesmas de quando se grafa hai-kai, como ela o fazia.
………………….
Carlos Drummond de Andrade enviou, em 1980, uma pequena carta à poeta, onde dizia: “Tão simples, tão pura – e tão funda – a poesia de Infinito Presente. Você domina a arte de exprimir o máximo no mínimo, e com que meditativa sensibilidade!”
………………….
Drummond, segundo Kamita, fez um elogio dizendo ter ficado feliz com poemas como esse, “em que à expressão mais simples e discreta se alia uma fina intuição dos imponderáveis poéticos”. (José Marins*)

Helena Kolody (Cruz Machado, 12 de outubro de 1912 — Curitiba, 15 de fevereiro de 2004) foi morar na Mansão dos Poetas Eternos há cinco anos. Sua obra ficou por aqui, a inspirar novos poetas e, principalmente, a insistir que a linguagem poética vê mais longe, nos ensina a olhar as profundezas da vida e as alturas dos ideais humanos.Seus pais foram imigrantes ucranianos que se conheceram no Brasil. Helena passou parte da infância na cidade de Rio Negro, onde fez o curso primário. Estudou piano, pintura e, aos doze anos, fez seus primeiros versos.

Seu primeiro poema publicado foi A Lágrima, aos 16 anos de idade, e a divulgação de seus trabalhos, na época, era através da revista Marinha, de Paranaguá. Aos 20 anos, Helena iniciou a carreira de professora do Ensino Médio e inspetora de escola pública. Lecionou no Instituto de Educação de Curitiba por 23 anos. Helena, segundo o que consta em seu livro Viagem no Espelho, foi professora da Escola de Professores da cidade de Jacarezinho, onde lecionou por vários anos. Seu primeiro livro, publicado em 1941, foi Paisagem Interior, dedicado a seu pai, Miguel Kolody, que faleceu dois meses antes da publicação. (extrato de Wikipédia – http://pt.wikipedia.org/wiki/Helena_Kolody)

O Banco da Poesia fa justa homenagem à poeta paranaense, com três poemas ilustrados, em versão gráfica de C. de A.

FimDeJornada

IlhasPoema

Tempo

_______________

*José Marins é de Curitiba, escritor, poeta. Mestre em Educação pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), haicaísta membro do fórum Haikai-l (http://www.kakinet.com/lista), autor de POEZEN (haicai); Pinha-Pinhão, Pinhão-Pinheiro (renga, juntamente com o haicaísta Sérgio F. Pichorim), Karumi (haicai), e Bico do João-de-Barro (haicai), inéditos.

Uma resposta para “Helena Kolody, a indizível alegria de criar

  1. mto bonito os poemas dela,,,
    gostei d+
    xau bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s