Um poema de Álvaro Miranda*

La última noche de Breton

Noche diurna de baño de espíritu
y de totuma andina donde no cabe un silencio
noche de lluvia paralítica en la mitad del espacio
noche extranjera de luz cancerosa
de migas de tamal entre nidos de buitres
noche de tul entre la trayectoria de un buque de papel

Noche de corteza de aire
de siesta de estrellas bajo llanto de sauces
noche amortajada de nubes
entre rosario de luceros rebeldes
noche tímida de mejilla de alba sonrosada
y de muñeca rota de golpe de mamut

Noche de gelatina sobre un plato de peltre
noche de cartón entre dientes de ratas
y de ojo de ahogado en el eje del mar
noche inservible de Navidad entre vahos
de epilépticas rumberas

Noche crucificada entre ladrón de sueños
de espumas y de verdades

BretonVanGogh

A última noite de Breton

Noite diurna de banho de espírito
e de cabaça andina onde não cabe um silêncio
noite de chuva paralítica na metade do espaço
noite estrangeira de luz cancerosa
de migalhas de tamal entre ninhos de abutres
noite de tule entre a trajetória de um barco de papel

Noite de casca de ar
de sesta de estrelas sob o pranto de salgueiros
noite amortalhada de nuvens
entre rosário de luzeiros rebeldes
noite tímida de bochecha de alva rosada
e de boneca espedaçada a golpe de mamute

Noite de gelatina sobre um prato de estanho
noite de papelão entre dentes de ratos
e de olho de afogado no eixo do mar
noite inservível de Natal entre vapores
de epiléticas rumbeiras

Noite crucificada entre ladrão de sonhos
de espumas e de verdades

____________

Notas

* Poeta colombiano. Ler post abaixo. Há mais dois poetas homônimos,  um uruguaio e um brasileiro.
Versão em Português – Cleto de Assis
Tamal –Espécie de empanada (pastel) de massa de farinha de milho, envolta em folhas de bananeira ou de espiga de milho, cozida ao vapor ou em forno. Existem vários tipos, segundo o recheio que se coloca e os ingredientes agregados. É prato típico em diversos países hispanos, principalmente no norte da América do Sul, na América Central e Caribe.  Assemelha-se à nossa pamonha.
Ilustração – composição de Retrato de André Breton, de James Sebor, (E.U.A. 1957), e Noite estrelada sobre o rio Reno,1888, de Vincent van Gogh (Holanda 1853-1890), 72,5 x 92 cm, Museu de Orsay, Paris.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s