Em Bogotá, a poesia será rainha

FestivalPoesiaBogotá

Com uma homenagem ao poeta colombiano Álvaro Miranda, a tomada poética do sistema de transporte de massa Transmilênio*, lançamentos de publicações e a apresentação de mais de 70 recitais, será realizado, entre os dia 25 e 30 de maio de 2009, o XVII Festival Internacional de Poesia de Bogotá, organizado pela revista Ulrika. Estão convidados mais de 50 poetas nacionais e internacionais.

Como em todos os anos, o Festival Internacional de Poesia de Bogotá 2009 reunirá a alguns dos representantes mais importantes da poesia contemporânea em língua espanhola, na décima sétima versão do evento. Nessa edição, a Venezuela é o país convidado de honra e a homenagem central será dirigida ao acadêmico e poeta Álvaro Miranda. Haverá recitais no sistema de transporte Transmilênio, do Distrito Capital, que se estenderão por toda a cidade, até o sábado, 30 de maio, permitindo a assistência massiva do público ao evento.

O XVII Festival Internacional de Poesia de Bogotá terá sua abertura no dia 25 de maio, a partir das dez horas da manhã, com a tomada poética massiva e simultânea do sistema de transporte,  (Transmilenio em verso), e continuará, a partir do meio-dia, na Casa de Poesia Silva.

Os mais de 70 recitais realizados em toda a cidade, durante uma semana plena de eventos e conteúdos, serão encerrados no sábado, com o lançamento, na Casa de Poesia Silva, da Antologia de Poesia Colombiana Contemporânea, da Editora El perro y la Rana, editada na Venezuela e apresentada por Iván Beltrán Castillo. Do México se lançará a revista La Otra – Antologia multimídia da Nova Poesia Colombiana, apresentada por José Angel Leyva. Muitas outras publicações serão lançadas, na ocasião.

Mais informações: www.poesiabogota.org

alvaro_mirandaO Poeta HomenageadoÁlvaro Miranda nasceu em Santa Marta, Colômbia, em 1945. Licenciatura em Filosofia, na Universidade de La Salle. Seus primeiros poemas apareceram nos volumes coletivos Ohhh (1970) e na Antologia de uma geração sem nome, coleção Adonáis, Madri (1970). Seu primeiro livro de poemas – Indiada – foi publicado em 1971.

Em 1982, quando recebeu o Prêmio Nacional de Poesia, da Universidade de Antióquia, editou Los Escritos de don Sancho Jimeno. Sua novela, La risa del cuervo, escrita em 1983, ganhou o primeiro prêmio em Buenos Aires e foi publicada no ano seguinte pela Universidade de Belgrano. Reescrita e editada por vários anos novamente em Bogotá (Thomas de Quincey Editores, 1992), foi galardoada por Colcultura, com o Prêmio Pedro Gómez Valderrama. Em 1996, publicou Simulación de un reino, que inclui a sua obra poética, de 1966 a 1995.

Em 2000, publicou o livro Colombia la senda dorada del trigo (1800-1999). Foi, por dois anos, diretor da Oficina de Poesia da Universidade Central. Ganhou a Residência de  Literatura, no México, em 2003, convocada pelo Ministério da Cultura da Colômbia e pela FONCA do México. De sua viagem àquele país escreveu El libro blanco de los muertos. Na coleção 100 Personagens, em 2004, constou seu trabalho Leon de Greiff. No país de Bolombolo. Em 2005, o Seminário de Cultura Mexicana e a Secretaria de Relações Exteriores do México, o convidam a participar do Encontro de Poetas do Mundo Latino, realizado na cidade de Morelia.

Seus destaques: Tropicomaquia, Indiada, Cuatro de Lebrija, Los Escritos de Sancho Jimeno, Simulación de un reino.

A poesia de Miranda tem um grande valor de originalidade. Toma o sotaque do espanhol de crônica antiga. O poeta maneja um idioma paródico, com humor, com força expressiva e com grande conteúdo vital, ao mesmo tempo em que interpola elementos atuais, o que dá um clima especial ao livro. É uma expressão, diria, muito rotunda, muito forte, que faz lembrar o Arcipreste de Hita**. (Enrique Molina, poeta argentino)

____________________________

* O saber fazer curitibano – A rede do TransMilenio é inspirada na Rede Integrada de Transporte de Curitiba, inclusive com a adoção de veículos fabricados em associação com empresas brasileiras . Porém algumas melhorias permitiram ao TransMilenio contar com uma capacidade de carregamento de passageiros superior à de Curitiba. A principal é que os ônibus transitam por canaleta segregada, sem cruzamentos em nível, com duas faixas em cada direção, permitindo, assim, ultrapassagem entre os veículos. Isso possibilitou a operação de linhas expressas na faixa adicional e velocidades de operação maiores que as de Curitiba. As estações do TransMilenio são mais amplas e muitos acessos são proporcionados por pontes que cruzam as avenidas. Entre outras comodidades do sistema bogotano, está a garagem para bicicletas, dentro das estações, que permite ao usuário guardar seu veículo enquanto usa o sistema de ônibus.
Transmilenio1Ligeirinho ou Ligerazo?
** Arcipreste de Hita é o título concedido a  Juan Ruiz, um poeta castelhano que viveu na primeira metade do Séc. XIV. É autor de uma das obras literárias mais importantes da Idade Média espanhola, o Libro de buen amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s