Poema de João Batista do Lago

A Balança
 

liberdade
Do palácio das Liberdades
Nascem carnes podres
Podres de direitos
Podres de justiças…
 
E então os direitos
Acasalados com as Justiças
Geram frigoríficos
Onde suas carnes são depuradas
Para serem vendidas aos homens

João Batista do Lago
__________________
Ilustração: Montagem de C. de A.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s