22 de março, Dia da Água

Depois do Dia Mundial da Poesia, vem o Dia da Água, outra substância indispensável para a sobrevivência humana. Produto da união de dois gases – um altamente inflamável e outro acelerador da combustão – a água tem a paradoxal capacidade de apagar o fogo e, em estado sólido, reduz drasticamente as temperaturas. Como imaginamos que esta sagrada siubstância jamais acabará, não somos exatamente os melhores guardiões da água, por este mundo afora. Desperdiçamos água, contaminamos e secamos nascentes, poluimos os mares e as grandes reservas de água potável. Daqui a 15 anos, segundo a ONU, mais da metade da população mundial,  ou seja, perto de 3 bilhões de pessoas,  sofrerá escassez de água. A organização também informa que hoje, a cada ano, morrem cerca de 1 milhão e 600 mil pessoas por dificuldades de acesso a água e falta de saneamento básico.

Como afirmou o escritor João Guimarães Rosa:

A água de boa qualidade é como a saúde ou a liberdade:
só tem valor quando acaba.


xxxxxxxxxxxxxxxxxx

xxxxxxxxxxxxxxx

Água não é poesia, mas pode ser fonte inesgotável de inspiração poética. Por isso fomos pedir água a alguns poetas para comemorar o seu dia. E, no final do post, anexamos dois pequenos filmes que nos mostram o mundo maravilhoso da água, em sua origem e como fonte permanente de vida. Afinal, sempre é bom recordar que somos formados primordialmente de água: chegamos a conter até 80% do precioso líquido (até os dois anos de idade). Depois essa proporção decresce, com o passar dos anos. O que significa que, ao envelhecermos, simplesmente desidratamos. E, em um belo (ou feio) dia, vaporizamos literalmente.

Enquanto isso não ocorre, louvemos a água, nossa inseparável companheira. C. de A.

_____________________________________________________________

É uma lei da natureza: os homens se congregam onde as águas convergem.

Jacques Yves Cousteau (1914-1997) naturalista francês

_____________________________________________________________

Nossa sabedoria

Carlos Nejar


Nossa sabedoria é a dos rios.
Não temos outra.
Persistir. Ir com os rios,
onda a onda.
Os peixes cruzarão nossos rostos vazios.
Intactos passaremos sob a correnteza
feita por nós e o nosso desespero.
Passaremos límpidos.
E nos moveremos,
rio dentro do rio,
corpo dentro do corpo,
como antigos veleiros.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Luís Carlos Verzoni Nejar,  (Porto Alegre, 11 de janeiro de 1939), é um poeta, ficcionista, tradutor e crítico brasileiro, membro da Academia Brasileira de Letras.

_____________________________________________________________

Trucidaram o rio

Manuel Bandeira


Prendei o rio
Maltratai o rio
Trucidai o rio
A água não morre
A água que é feita
de gotas inermes
Que um dia serão
Maiores que o rio
Grandes como o oceano
Fortes como os gelos
Os gelos polares
Que tudo arrebentam.

De Estrela da Manhã

Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho, poeta brasileiro (Recife, 19 de abril de 1886 – Rio de Janeiro, 13 de outubro de 1968)

_____________________________________________________________

Água

Francisco Joaquim Bingre


O líquido delgado e transparente
Com que o barro amassou o Autor sob’rano,
Da insigne construção do corpo humano,
Que temperas do home o fogo ardente!

Quando a chama se ateia em continente
Tu corres a sustar o nosso dano:
Tu desabafo és do mal tirano,
Que ataca o coração, soltando a enchente.

Quando tu pelos poros és filtrada,
Água que o fogo aquece, a calma fica
Da máquina acendida, refrescada.

Porém, quando o suor gela na bica,
Quando o frio te torna condensada,
Nossa queda final se verifica.

De Sonetos

Francisco Joaquim Bingre, poeta arcádico e pré-romântico português (9 de Julho de 1763 – 26 de Março de 1865).

_____________________________________________________________

Lição sobre a Água

António Gedeão


Este líquido é água.
Quando pura
é inodora, insípida e incolor.
Reduzida a vapor,
sob tensão e a alta temperatura,
move os êmbolos das máquinas que, por isso,
se denominam máquinas de vapor.

É um bom dissolvente.
Embora com excepções mas de um modo geral,
dissolve tudo bem, ácidos, base e sais.
Congela a zero graus centesimais
e ferve a 100, quando à pressão normal.

Foi neste líquido que numa noite cálida de Verão,
sob um luar gomoso e branco de camélia,
apareceu a boiar o cadáver de Ofélia
com um nenúfar na mão.

De Poesiascompletas

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

António Gedeão, pseudónimo de Rómulo Vasco da Gama de Carvalho (Lisboa, 24 de Novembro de 1906 – 19 de Fevereiro de 1997), foi um afamado poeta, professor e historiador da ciência portuguesa.

_____________________________________________________________

Água

André Carneiro


Água, feita de volubilidade
mãe das nuvens e do barro.
posso senti-la discreta
transparente inevitável.

Prisioneira gelada
dos refrigeradores,
vago itinerário dos peixes,
húmido túmulo dos detritos
que os homens repudiaram.

Feita de angústia,
saíste dos olhos
para a estrada áspera
das rugas.

Ergues tua bandeira vermelha
no peito dos apunhalados.

Água,
hei-de beber-te comovido
na inodora volúpia
da tua acomodada transparência.
Embebes de esquecimento
os suicidas.

Tuas mãos rudes
agarram os continentes,
dissolvem os náufragos,
projectam no céu
os velames e as quilhas.
Bojo surdo e verde
cofre de algas e flibusteiros,
bactérias e diamantes.

Quero-te agora
inerte de presságios,
mera adolescente
nascida na terra,
filha perdida do azul.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

André Carneiro (Atibaia, 9 de maio de 1922) é um poeta, escritor, cineasta e artista plástico brasileiro.

_____________________________________________________________

No alto mar

Sophia de Mello Breyner Andresen


No alto mar
A luz escorre
Lisa sobre a água.
Planície infinita
Que ninguém habita.

O Sol brilha enorme
Sem que ninguém forme
Gestos na sua luz.

Livre e verde a água ondula
Graça que não modula
O sonho de ninguém.

São claros e vastos os espaços
Onde baloiça o vento
E ninguém nunca de delícia ou de tormento
Abre neles os seus braços.

De Poesia (1944)

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Sophia de Mello Breyner Andresen (Porto, 6 de Novembro de 1919 — Lisboa, 2 de Julho de 2004) foi uma das mais importantes poetas portuguesas do século XX.

_____________________________________________________________

O rio

Gilberto Mendes Teles

O que me agrada no rio,
o que melhor me convém
nas suas águas de cio
e de tristeza também

é a cantiga de quem
viaja por desfastio,
sem saber que o mar além
seja distante ou vazio.

O rio não perde o fio
de tempo que vai e vem
entre a nascente e o ciicio
da foz qeu sempre contém

o que se quer como um bem
que, sendo embora tardio,
é sombra de peixe e tem
seu melhor tempo no rio.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Gilberto Mendonça Teles (Bela Vista de Goiás, 30 de junho de 1931) é escritor, professor e poeta brasileiro. Visite sua página no Banco da Poesia.

_____________________________________________________________

A mãe falou: Meu filho você vai ser poeta. Vai carregar água na peneira a vida toda.

Manoel Wenceslau Leite de Barros, poeta matogrossense, (Cuiabá, MT, 19 de dezembro de 1916). Atualmente mora em Campo Grande, MS.


_____________________________________________________________

_____________________________________________________________

18 Respostas para “22 de março, Dia da Água

  1. Mônica Tavares

    Estou à procura de um poema sobre água de Jose Antonio Gatti. Se tiver por favor me envie.

  2. olhei as poesias todas sao otimas os videos tambem entao voces sao bastante talentosos

  3. essas poesias são maravilhosas me ajudaram muito na escola em casa ficar amoroso com meus maravilhosos pais me ajudaram em muitas coisas obrigado quem compós essas maravilhosas poesias
    assi: manoel victor

  4. eu gostei de tudo os videos muito bom eu amei gostei muito

  5. essa poesia e maravilhosa me ajudou muito na escola

  6. karollayne

    Água nossa de cada dia

    Água fonte de vida
    Água esperança
    Água que mata a sede
    Água que molha a planta.

    Água que brota da terra
    Água que sai do chão
    Água que molha o trigo
    Trigo que faz o pão.

    Água que sangra das pedras
    Água que vem da natureza
    Água que nos dá alegria
    Água que revigora a beleza.

    Água que rola da serra
    Água que jorra do chão
    Água que enche rios
    Água que transborda ribeirões.

    Água que enche lagos
    Água que enche lagoas
    Água que corre para o mar
    Água que corre á toa.

    Água que move moinhos
    Água que faz girar
    Água que não descansa
    Água que faz navegar.

    Água nossa de cada dia
    Água que nos dá energia
    Água que nos dá calor
    Água que nos procria.

    Água de cada dia
    Água da nascente
    Água que cria a gente
    Água que nos faz respirar

    Água que sai da terra
    Água que sai do ventre das matas
    Que cai das cascatas.

    Água fonte de vida
    Água que brota dos córregos
    Água que jamais voltará
    Água nossa de cada dia.

  7. roberta vivian

    Essas frasses são munto lindas.

  8. Preciso de um para fazer um trabalho de escola, mas não sei qual escolher. Todos lindoss.

  9. Nossa que poesia legal mesmo em !!!!!!!

  10. Mônica Tavares,

    Eu sei que já tem muito tempo que este seu comentário foi postado e eu nem sei ao certo se você vai ver isso, mas, vou colocar o “poema sobre a água” do José Antônio Gatti aqui, caso você ainda não tenha achado.

    Sou do Rio de Janeiro e, recentemente, esta poesia foi objeto de uma propagando veiculada pelo Metrô-RJ e que ficou no ar durante um tempo, em todas as estações. Procurando alguam referência no google, encontrei um vídeo e copiei o texto.

    Espero que ajude.

    Abraços, Rafael.

    ————————————

    Poesia Sobre a Água – José Antonio Gatti

    Amar é…
    A maré.

    É remar
    sem cessar

    Bem falar
    Meu pensar

    Se rolar
    Deixa estar

    Se ficar
    Deixa entrar

    Se tocar
    Vai voltar

    Como a maré
    Amar é.

    Amar é…
    A maré.

    ————————————-

  11. gabrielly sayuri kuriyama

    eu a dorei esses poemas muito obrigado!!!

  12. Tambem preciso para faser um trabalho de escola… So que ta dificil de escolher todas tao bonitas…!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  13. PAULO CESAR

    LORRAYNE, ADOREI MUITO SUA POESIA SOBRE A ÁGUA. VOCÊ ESTÁ DE PARABÉNS.

  14. gostei muito……….. das poesias eu tambem tenho que fazer trabalho na escola so que me lasquei porque na verdade e pra mim cria uma poesia sobre agua e agora me ajude rsrsrs………

  15. Ana Perfeito

    Li as poesias e gostei da seleção. Gostaria de participar recordando dois poemas de autores que também admiro: Miguel Torga e Alberto Caeiro.
    Água, de Miguel Torga

    Água a correr na fonte.
    Uma quimera líquida que sai
    Das entranhas do monte
    A saber ao mistério que lá vai…

    Pura,
    Branca, inodora e fria,
    Cai numa pedra dura
    E desfaz o mistério em melodia…

    Grerês, 26 de Agosto de 1942.
    Diário II, 1943

    O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
    Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
    Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.

    O Tejo tem grandes navios
    E navega nele ainda,
    Para aqueles que vêm em tudo o que lá não está,
    A memória das naus.

    O Tejo desce de Espanha
    E o Tejo entra no mar em Portugal.
    Toda a gente sabe isso.

    Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
    E para onde ele vai
    E donde ele vem.
    E por isso, porque pertence a menos gente,
    É mais livre e maior o rio da minha aldeia.

    Pelo Tejo vai-se para o Mundo.
    Para além do Tejo há a América
    E a fortuna daqueles que a encontram.
    Ninguém nunca pensou no que há para além
    Do rio da minha aldeia.

    O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
    Quem está ao pé dele só está ao pé dele.

    Poemas de Alberto Caeiro, Fernando Pessoa

  16. otimo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s